Cronos

                                                   Para Raduan Nassar

 

A rosa branca

colhida em dura disciplina

grita a fúria

de silêncios ancestrais.

 *

O verbo interdito

é carne

de desejos

dilacerados.

*

O fruto pródigo

dita uma pressa

imprópria.

*

A lógica do tempo –

arcaico –

suprime das coisas

sua abundância.

Paga-se com a vida

a fruta que se morde

antes.

(Analice Martins)

 

6 ideias sobre “Cronos

    • Obrigada, querida!
      Esse poema fiz para mim, pelo tanto que “Lavoura arcaica” representou em minha vida!!! Mas é maravilhoso saber que ele encontra eco em outros corações!
      Beijos!

  1. Olá, desde Londrina!
    Sempre me lembro de nossa conversa na roda de choro (está lembrada?), mas agora, me lembrando desta sua dedicatória, comento ao mesmo tempo em que se passa uma homenagem ao Raduan no canal Arte 1.

    Até breve…

  2. Que lindo, Analice!
    Sinto-me ainda mais honrada em ser sua aluna!
    Obs: não precisa ser tão modesta, insira os seus lindos poemas em nossas aulas! Rsrs.
    Com carinho, Suzi, 7º Período de Letras

    • Obrigada, Suzi!
      Que eu saiba, a poeta é você!!! Eu só faço uns experimentos com a linguagem. Mas, em 2017, terei tempo e disciplina para me voltar para essas “vertigens”.
      Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *